Notícias

Odair Cunha é acusado de fraudar eleição do PT com dinheiro desviado

 

O secretário estadual de Governo e deputado federal licenciado, Odair Cunha, é investigado dentro da Operação Lava-Jato. Em uma das teias da operação, Odair é acusado de ter recebido R$ 150 mil desviados dos cofres da Confederação Nacional do Transporte (CNT). De acordo com a reportagem da Revista Veja, “o destino final do dinheiro, segundo o ex-vereador petista e delator Alexandre Romano, foi a eleição do diretório estadual do PT mineiro”.

Segundo a reportagem da revista semanal, o dinheiro teria sido um “pagamento” pela “atuação” de Odair Cunha como relator da CPI do Cachoeira, em 2012, na Câmara Federal. A reportagem indica que Cunha teria sido escalado para “intimidar” a atuação do então procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Porém, após os trabalhos da CPI esbarrar em “crimes praticados por petistas e seus aliados”, ela foi “encerrada com um pífio relatório de uma página e meia”.

Após o fim da CPI, “o petista deixou o chamado baixo clero da Câmara para eleger-se presidente do PT em Minas Gerais”. No ano seguinte, Odair deu um salto em sua votação, sendo eleito para o quarto mandato a deputado federal com mais de 200 mil votos, o segundo mais votado do PT e o quarto com mais votos entre todos os 53 deputados federais do estado. Com a eleição de Fernando Pimentel (PT) ao governo de estado, Odair se licenciou do mandato e assumiu a coordenação política do mandato petista em Minas, como secretário estadual de Governo.

Clique aqui e confira a reportagem da Revista Veja

 

Comentários

Comentários

Siga-nos no Twitter

© 2017 PODER EM FOCO | desenvolvido por maxwellpas