Notícias

Odair Cunha: “desafio do estado é manter os serviços públicos de qualidade”

Na avaliação de Odair Cunha, a oposição evitará um embate direto com o atual governador.

Crédito Foto: Instagram/Divulgação
 

O secretário de estado de Governo, Odair Cunha, é quem vai coordenar a campanha à reeleição do governador Fernando Pimentel (PT). Em entrevista para o jornal Estado de Minas, ele falou em linhas gerais das articulações, dificuldades para as eleições de 2018.

Na avaliação de Odair Cunha, por exemplo, a oposição evitará um embate direto com o atual governador. “Nós queremos exatamente comparar o que eles disseram nos últimos anos, o chamado choque de gestão, queremos mostrar o que foi esse choque”.

Ele também avalia que uma eventual candidatura de Aécio Neves ao governo do estado configuraria um “problema” para os partidos de oposição do PT. “A presidenta Dilma venceu as eleições aqui no primeiro e no segundo turno. Derrotou Aécio e o candidato tucano ao governo de Minas”.

Sobre as contradições de um eventual apoio do PMDB à reeleição de Fernando Pimentel, Odair destacou que o PMDB “foi fundamental no processo eleitoral que levou o governador Pimentel a vencer a eleição”, e que segue um importante aliado na “base de sustentação na Assembleia Legislativa”. “Nossa expectativa é de que o PMDB que ajudou o Pimentel a ser eleito, e o PMDB que ajuda o governo, estejam conosco no processo eleitoral do ano que vem”.

Entretanto, quando provocado sobre a relação do PT com o atual vice-governador, Antônio Andrade, Odair deixa clara a ruptura. “O que nós queremos é que em outro momento este mesmo PMDB indique outro nome”.

Odair reconhece as dificuldades da atual gestão. “Não encontramos o estado como gostaríamos, com contas saneadas e equilibradas. Encontramos um estado praticamente quebrado. Com sua máquina pública inchada e que fez opções equivocadas”.

Ele também apontou o mal-estar provocado pelo parcelamento dos salários. “Ninguém gosta de parcelar salário do seu empregado e funcionário”, mas destacou que o parcelamento atinge apenas 25% dos servidores. “O desafio do estado é manter os serviços públicos de qualidade”.

Questionado sobre atuação dos três senadores mineiros, Odair disparou: “Eles não representam Minas. Não estão à altura dos desafios dos mineiros”. Para o secretário de Governo, os senadores Aécio Neves (PSDB) Zezé Perrela (PMDB) e Antonio Anastasia (PSDB), sustentam um governo federal que não olha e não investe em Minas. “Os partidos do nosso campo terão condição de eleger senadores de verdade, que se preocupem com o estado”, garantiu.

Ainda assim, Odair também falou da inviabilidade de uma candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff ao Senado, pelo Estado de Minas Gerais. Além de ela não ter não ter domicílio eleitoral em Minas Gerais, o PT, tendo em vista a reeleição de Fernando Pimentel, pode ter que ceder a indicação de candidaturas ao Senado a outros partidos, para construção de uma base forte. “Vamos trabalhar para continuar juntos: PT, PMDB, PR, e todos os partidos que nos sustentam no governo”.

Clique aqui para ler a íntegra da entrevista.

 

 

Comentários

Comentários

Siga-nos no Twitter

© 2017 PODER EM FOCO | desenvolvido por maxwellpas