Curtas e Máximas

O que não foi registrado da última reunião do PSB Minas?

 

Embora tenha se destacado nas notícias sobre a última reunião do PSB Minas a tensão entre os grupos do deputado federal Júlio Delgado, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, o olhar mais atento para a condução do debate feito pelo presidente estadual da legenda, João Marcos Grossi, registrou um banho de água fria da coordenação da campanha e da executiva da legenda sobre a expectativa dos pré-candidatos a deputado estadual e federal.

O presidente estadual da legenda fez um conjunto de contas sobre a repartição do fundo eleitoral, apresentando aos pré-candidatos a percepção de que não haverá dinheiro para se fazer campanha.

Lacerda, em sua intervenção, também destacou que não assumirá compromissos na ajuda com o financiamento das chapas de deputados federais e estaduais.

Com dificuldade de aglutinar outras legendas a sua candidatura, que sentido faz desestabilizar a chapa de deputados que levará o nome de Lacerda pelo estado?

É sincericídio ou inabilidade política?

Provocado várias vezes pelos participantes do evento para que, objetivamente, se manifestasse sobre sua candidatura ao governo do estado, rechaçando, assim, a possibilidade de compor como vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT), Lacerda desconversou com a falta de traquejo político que lhe é peculiar, adiou a definição para o dia 30, quando acontecerá reunião da executiva nacional, e manteve o clima de indefinição e incerteza sobre os rumos do PSB em Minas.

As tensões do último encontro, disseram boa parte dos presentes, remontam o caos e a inabilidade de Lacerda e seu grupo na sucessão municipal de 2016.

Comentários

Comentários

© 2017 PODER EM FOCO